A SITUAÇÃO QUE CHEGAREMOS É AO SUPERENDIVIDAMENTO, POIS ENDIVIDADO TODOS ESTÃO.

16 Apr 2020

A medida econômica não inclui dívidas no cartão de crédito e cheque especial, nem boletos de consumo geral, como água, gás, luz e telefone.

 
A prorrogação vale para pessoas físicas e micro e pequenas empresas com contratos de crédito em andamento, pagos em dia e limitados aos valores já utilizados.
A medida deveria envolver também cheque especial e cartão de crédito. O Endividamento da população é clara, já têm um histórico de endividamento, sobretudo a população de baixa renda. Por essa visão, a medida acaba tendo um carácter insuficiente.
Com os Bancos se posicionando para renegociação, o governo ampliou a folga de capital do sistema financeiro nacional em 56 bilhões de reais, permitindo que a capacidade de crédito seja elevada em cerca de 637 bilhões de reais, de forma a dar espaço às renegociações. "A primeira medida facilita a renegociação de operações de créditos de empresas e de famílias que possuem boa capacidade financeira e mantêm operações de crédito regulares e adimplentes em curso, permitindo ajustes de seus fluxos de caixa, o que contribuirá para a redução dos efeitos temporários decorrentes do Covid-19", disse o BC em nota. Depois desse período, a exigência será gradualmente restabelecida até 31 de março de 2022 ao patamar de 2,5%.
O Consumidor e as Empresas precisam ficarem atento, ao renegociar, precisa entender que se:
1-    O banco está propondo uma pausa no contrato, sem cobrança de juros pelo período de suspensão? 
2-     Vale a pena se for uma pausa nesses contratos, e desde que o consumidor não tenha que arcar com juros por conta dessa suspensão.
3-     A cobrança de juros de acerto seria abusiva, dadas as condições em que essas medidas estão sendo adotadas neste momento.
Lembrem-se temos duas opções lutar ou fugir? Eu preferi lutar de cabeça erguida fazendo tudo que podia para apoiar as pessoas que estão a minha volta. Incluindo clientes, colaboradores e sociedade. 
Sugestão: Entrar na justiça e suspender os pagamentos das parcelas, pois quem já estava com parcelas atrasadas, hoje não tem como pagar as atrasadas, para atender aos requisitos dos bancos, assim não vão ficar esperando o Estado ou Bancos se entenderem, pois entre ambos a ponta mais fraca é a Empresa. É o final disso é uma possível recuperação judicial ou falência.

Compartilhe com seus amigos!
Twittar sobre isso!
Compartilhe com sua rede!
Curta esse post!
Please reload

Posts em destaque

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE AS MEDIDAS ANUNCIADAS PELOS BANCOS

May 8, 2020

1/10
Please reload

Posts recentes