Saiba como crescer e aumentar vendas.

 

 

Sempre falamos que se há crise no mercado, consequentemente há presença de dívidas bancárias. E qualquer descuido pode deixar muita companhia de cabelo em pé: "é o fim!""É o fim"

 

Esse pensamento pode e deve ser mudado. Abordaremos as principais razões de dívidas e como se comportar diante delas.

Se entra no ciclo da inadimplência, corre o risco de perder os bens, créditos e chances de crescimento. A dívida aumenta, os juros atacam ferozmente, entre outros tributos inseridos.

 

Como perceber o endividamento?

Sempre existirão sinais e indícios de que algo não vai bem e que pode sair do controle. Há sinais de queda da companhia  quando fornecedores passam a pedir pagamentos a vista, bancos não refinanciam ou estacionam o limite de crédito, quando há furos constantes de caixa e falta de liquidez.

 

O lado positivo do endividamento

Ter dívidas não é um problema em si, muito pelo contrário, pode até ser saudável quando os recursos financeiros são utilizados de forma racional para financiar o crescimento e o desenvolvimento da companhia, investir em especialidade, suprimentos e etc.

 

Já ouviu os seus clientes hoje?

Preço acima do praticado pela concorrência, falta de tecnologia, atualidade do serviço ou produto. Se atentar ao que dizem pode aumentar o lucro e remover o endividamento.

 

Qual deve ser a prioridade de pagamento de dívidas?

Fornecedores, funcionários e despesas fixas. E despesas fixas. Com relação aos impostos, deve se fazer um planejamento para que se consiga pagar no refis do ano subsequente com desconto.

Sendo assim, as dívidas prioritárias devem ser as despesas que mantem a atividade empresarial.  Em caso de dívidas bancárias, a melhor saída é buscar um profissional jurídico para planejar e negociar um novo pagamento.

 

Encare de frente

Por vezes, o montante devido é muito grande, que não deixa outra saída, senão renegociar e fazer o possível para obter o máximo de desconto. Negocie prestações que caibam no fluxo da caixa da empresa, do contrário, o empresário - ao invés de quitar - ganhará uma nova dívida em pouco tempo.

 

Esqueça crenças antigas sobre endividamento bancário!

Sempre que alguém deve a banco, seja pessoa física ou jurídica, o que mais ouvimos é "esqueça as demais contas, foque todo o pagamento para o banco!"

E isso parece ser tão urgente e acaba influenciando centenas e milhares de pessoas. Há uma crença enraizada que gera medo, desconfiança e atitudes precipitadas.

Por que não priorizar fornecedores? Deixando de paga-los, quebra-se um ciclo no comercio, influenciando num todo. Deve-se priorizar a mão-de-obra e despesas fixas: isso manterá a sua atividade continua.

 

Em tempo, não estamos incentivando a inadimplência bancária, mas recomendando cuidados de gerenciamento empresarial, para que haja organização do financeiro.

Entramos na negociação de dívidas, com parcelas personalizadas para cada caso e a um valor justo, com redução de juros e taxas.

 

Procure ajuda especializada e renove seus métodos

Com o passar do tempo, muitos empresários podem continuar inflexíveis a mudanças ou achar muito caro a presença de um advogado em seu negócio, ou achar dispensável consultorias especializadas para lidar com finanças e jurídico.

Mas para estar a frente, deve aderir a métodos especializados para salvar seu negócio e obter vantagens!

 

Somos especialistas em direito empresarial, redução de débito. E o nosso maior intuito é ajudar empresas com serviços jurídicos.

Entre em contato conosco e saiba mais.

 

 

 

 

 

Compartilhe com seus amigos!
Twittar sobre isso!
Compartilhe com sua rede!
Curta esse post!
Please reload

Posts em destaque

DÍVIDA BANCÁRIA RURAL - BANCOS DIFICULTAM NEGÓCIAÇÃO VISANDO O ARRESTO DE FAZENDAS.

August 22, 2019

1/10
Please reload

Posts recentes
Please reload

Arquivo