Alta carga tributária em novos empreendimentos.

 

 

 

    Abrir o próprio negócio para realizar um sonho e se ver livre do patrão é o desejo de muitos brasileiros que sonham em ver seu negócio impulsionando a economia do país. Porém breve analise em nosso sistema aponta a alta carga tributária como inimiga das novas empresas. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a taxa de falência das empresas com até dois anos de funcionamento corresponde a 24,4%. O Sebrae afirma que uma em cada quatro novas empresas não duram dois anos após sua abertura.

 
     No Brasil, a qualidade do sistema tributário decaiu e as empresas que não se enquadram no Simples Nacional se submetem a enormes custos apenas para cumprir as obrigações fiscais. O sistema tributário brasileiro é um dos mais ferozes do mundo, segundo estudos como o Doing Business do Banco Mundial e o de competitividade do Fórum Econômico Mundial.
 
Brasileiros são os que pagam mais tributos no mundo e os que menos podem contar com serviços públicos de qualidade, pois o governo não se preocupa com corte de gastos, mas sim com arrecadação de impostos
 
Ou modalidade de impostos é aquela que incide sobre a folha de pagamento, dos encargos trabalhistas, sempre polemizados pela classe empresarial, acusados de reduzir a competitividade e a lucratividade do negócio. A contratação de empregados deve sempre levar em conta os encargos incidentes sobre o salário de modo a indicar com precisão o custo real da mão de obra.
 
Pré requisitos para se manter
O sonho pode se transformar em pesadelo se o empresário não entender de administração do seu negócio. A palavra-chave é sempre planejar e conseguir com especialistas conhecimento para embarcar e dirigir um negócio. A regra básica que sempre aplicamos em empresas é diferenciar o empresário e reconhecer que cada caso é um caso, mas certas coisas são iguais para todos: Priorizar atividades e pagamentos responsáveis pela arrecadação financeira do negócio.
 

Incentivos do MEI diminuem a informalidade
Aumenta o número de empreendimentos iniciados e este crescimento se deve, especialmente, à formalização do Microempreendedor Individual (MEI). O incentivo fiscal da modalidade empresarial, com isenção dos tributos federais, pagando apenas o valor fixo mensal de R$ 46,85 (INSS) para comércio ou indústria ou R$ 36,10, para prestação de serviços, ajudou os informais a se legalizarem e alcançarem os benefícios da Previdência. 

No País foram registrados mais de 4 milhões de microempreendedores individuais, um grande avanço de crescimento para os informais. Nem tanto conhecida, a tendência é que cresça.

 

Presença do profissional jurídico no processo


Os procedimentos de interesse empresarial de Pessoas podem requerer conhecimento e procedimentos jurídicos que analisam a regularidade fiscal e o enquadramento do negócio. Entre as analises estão sobre restrições, diminuição das burocratizações e correção monetária e crédito. 

 

 

 

Este artigo foi útil? Compartilhe em suas redes sociais

 
 
Compartilhe com seus amigos!
Twittar sobre isso!
Compartilhe com sua rede!
Curta esse post!
Please reload

Posts em destaque

DÍVIDA BANCÁRIA RURAL - BANCOS DIFICULTAM NEGÓCIAÇÃO VISANDO O ARRESTO DE FAZENDAS.

August 22, 2019

1/10
Please reload

Posts recentes
Please reload

Arquivo